terça-feira, 3 de maio de 2011

Eficácia não comprovada emperra remédio contra reumatismo


A falta de estudos mais conclusivos sobre a eficácia de medicamentos justifica a demora na adoção de novas drogas de combate ao reumatismo, segundo avaliação da técnica do Departamento de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Maria Inez Gadelha. “A maioria dos pedidos de registros tem finalidade paliativa, além de muitos estudos serem influenciados pelas indústrias farmacêuticas”, afirmou. O tema foi debatido nesta quarta-feira no Fórum Artrites, realizado na Câmara pelas frentes parlamentares da Saúde e das Hepatites.
Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 30 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de reumatismo. A doença inflamatória leva à deformidade crônica das articulações.
Maria Gadelha defendeu maior análise independente e detalhada das solicitações de novos medicamentos antes de sua adoção pelo Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com ela, é preciso deixar claro que quem avalia a tecnologia é independente de quem solicita e de quem faz a incorporação: “Isso é a garantia da isenção no processo de decisão”.
O diretor de Assistência Farmacêutica do ministério, José Miguel do Nascimento Júnior, afirmou que a questão econômica não determina a entrada ou não de novos medicamentos na lista do SUS. “O acesso à saúde não se dá pelo medicamento. Ele é apenas um elemento dentro do todo, que pressupõe centros de tratamento, médicos especializados, entre outros fatores”, disse.
Protocolo clínico
O reumatologista Luís Piva Júnior criticou a demora do Ministério da Saúde em atualizar o protocolo clínico – paralisado desde 2006 – para o tratamento contra reumatismo. “Por que certas áreas, como a de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e aids, têm incorporação de tecnologia em ritmo muito mais rápido?”, indagou. “Não é possível que um protocolo demore mais de quatro anos para ser analisado”, complementou.
Segundo Piva, as doenças reumáticas são a terceira causa de aposentadoria e cerca de 50% dos pacientes reumáticos graves interrompem sua atividade profissional cinco anos após o início da doença. O governo, de acordo com ele, não tem condições de gerenciar as pesquisas solicitadas pelo ministério para atualização do protocolo.
Emenda 29
O coordenador da Frente Parlamentar da Saúde, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), solicitou aos participantes do evento ajuda para pressionar o Plenário a votar a regulamentação da Emenda 29, que fixa percentuais mínimos a serem investidos anualmente em saúde. O projeto que regulamenta a medida (PLP 306/08) foi aprovado pelo Senado, mas a votação não foi completada na Câmara. Falta analisar destaque referente à adoção de uma contribuição social para a saúde, nos moldes da extinta CPMF.
O pedido foi reforçado pelo presidente da Frente Parlamentar das Hepatites, deputado Geraldo Thadeu (PPS-MG): “Enviem telegrama, e-mail, cópia de assinaturas para o presidente da Câmara pedindo a regulamentação da emenda”.

domingo, 21 de novembro de 2010

Reumatismo no Sangue

A febre reumática, mais conhecida como reumatismo no sangue, como é conhecida popularmente, é uma doença que ataca articulações, coração e sistema nervoso, inflamando-os.

A causa é uma infecção de garganta pela bactéria estreptococo beta-hemolítico que não recebeu tratamento ou foi mal curada. A bactéria está por toda parte, em especial nas regiões mais pobres, nas quais as condições de moradia e de saneamento básico são precárias. A pessoa contrai o microrganismo e tem a infecção de garganta. Em cinco a sete dias, seu organismo reage, produz anticorpos e neutraliza a bactéria. Decorridas cerca de duas semanas, porém, as pessoas com predisposição para apresentar a febre reumática começam a ter dor e inchaço nas articulações dos membros inferiores, como joelho ou tornozelo. É o sintoma inicial da febre reumática.

A doença atinge sobretudo pessoas de cinco a 15 anos, período no qual se intensificam os relacionamentos humanos. É rara após os 20 anos e dificilmente um adulto tem o primeiro surto. Manifesta-se tanto em meninos quanto em meninas, com predominância discreta entre elas. Não são todas as pessoas com infecção pelo estreptococo que desenvolvem a febre reumática: só aquelas que apresentam predisposição genética.

O mecanismo da moléstia seria o seguinte: ao mesmo tempo em que atacam as bactérias, os anticorpos agridem as articulações, o coração e o sistema nervoso central, em virtude da semelhança que existe entre estruturas desses tecidos e da bactéria.

O sintoma inicial mais freqüente da febre reumática, como dissemos, são dores muito fortes e inflamação nas articulações dos membros inferiores (com inchaço e aumento de temperatura). A dor pode ser tão intensa que a criança pára de andar. Em geral começa em uma articulação, dura dois a três dias, melhora e passa para outra articulação. Isso se chama artrite, que se manifesta em cerca de 70% das pessoas que apresentam febre reumática.

domingo, 15 de agosto de 2010

O tratamento natural do reumatismo

O reumatismo é um termo genérico que nomeia outros 200 variados tipos de doenças que atingem as articulações, as chamadas doenças reumáticas, entre as quais está a artrite reumatóide, doença sistêmica inflamatória crônica caracterizada por dores articulares freqüentes, com posterior “destruição” das articulações atingidas e com deformidades irreversíveis.
As principais causas do reumatismo são de origem infecciosa, endócrina, alérgica ou metabólica. Nessa última pode-se citar a deficiência de elementos básicos como vitamina C e manganês.
Todas as articulações podem ser atingidas, mas há maior incidência nas mãos, inicialmente com dores no punho ou mesmo com a tendinite, além de dores, inchaço e vermelhidão nos locais afetados.
Os tratamentos convencionais têm como objetivo atuar contra a dor e a inflamação, mas sem agir na real raiz do problema, enquanto a terapia natural procura suprir anecessidade de nutrientes, vitaminas e ácidos graxos dospacientes, eliminando as dores e fornecendo ao organismo as moléculas corretas para ficar equilibrado.
Muitos nutrientes podem ser utilizados no combate às dores e na diminuição da artrite, como vitaminas C e D, que favorecerem o metabolismo do cálcio; minerais como cálcio e magnésio, para evitar a perda óssea; ômega 3, que controla os processos ligados à inflamação das partes afetadas; além de enzimas e vitamina E natural.Também se recomenda massagear a área dolorida com bucha vegetal durante o banho e depois com óleo de copaíba pelo menos duas vezes ao dia, bem como compressa fria (com bolsa de gelo) várias vezes ao dia. Banhos de sol diários de 15 a 20 minutos ajudam na produção da vitamina D e no restabelecimento das articulações.É importante lembrar que as doenças reumáticas acometem não só os idosos, mas também os adultos jovens, na faixa entre os 30 e 50 anos, e em todas as idades.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O poder das águas na cura do reumatismo

Localizado na área central da cidade, Avenida Carlos Mauro s/n, o Balneário Municipal Doutor Octavio Moura Andrade é, sem dúvida, a maior atração turística de Águas de São Pedro. O local, considerado a menina dos olhos do atual prefeito da cidade, Paulo Ronan, chega a atender cerca de 250 pessoas durante os finais de semana. Pouca gente sabe, mas, o chefe de Poder Executivo do município contou que foi exatamente as águas medicinais que o trouxe para estância.

"Quando eu tinha 15 anos, vim com minha família de São Paulo porque minha mãe precisou fazer um tratamento de saúde, por meio das águas", contou Ronan. Como se fosse uma paixão à primeira vista, poucos meses depois o prefeito já estava morando na cidade juntamente com seus pais.

Os benefícios com os banhos são fáceis de ser percebidos. Com seus 77 anos, a aposentada Francisca dos Reis, que mora na estância há 20 anos, conta que seus problemas com reumatismo e dores na coluna acabaram depois que ela conheceu Águas de São Pedro. "Eu mudei para cá exatamente por causa das águas. Posso dizer que tomo banho aqui há 20 anos", disse Francisca. Sobre o poder do líquido, ela garante: "Faz bem para pele, para o corpo e até mesmo para mente".

Com 18 banheiras na ala feminina e mais 18 na masculina, o banho, que varia entre 15 a 20 minutos, atrai turistas de vários cantos do país. Conhecida como "ouro branco" na década de 40, as águas medicinais da estância atrai milhares de pessoas que buscam tratamentos terapêuticos e estéticos nas fontes Gioconda, Juventude e Almeida Salles.

Classificada como a primeira das Américas e segunda do Mundo em teor de sais de enxofre, a Água da Juventude é hipotermal, hipotônica, fortemente alcalina e sulfídrica, cloretada, bicarbonatada, boratada e teosulfurosa sódica. "Essa é o carro chefe dos banhos alternativos", informou a atendente Marilu Aparecida Camargo Arthus, sobre a água indicada para tratamento de reumatismo, diabetes, alergias, asma, colite, moléstias da pele, intoxicações e inflamações.

Com propriedades clorobicarbonata sódica, boratada sódica e ferrosa, a Fonte Almeida Salles é indicada para tratamento de azia, excesso de acides gástrica e diabetes. Sobre a Fonte Gioconda, que possui água sulfatada sódica, alcalina, boratada e radioativa, sua indicação serve para pessoas com males no fígado, vesícula biliar e intestino.

ESTÉTICA. Segundo a esteticista Flávia Cristina Real, de São Paulo, além de aliviar e curar diversos males, a água termal é rica em nutrientes e atua como coadjuvante em alguns tratamentos da pele. "Posso afirmar que esse produto natural vale mais do que muitos produtos estéticos", disse Flávia. A água termal possui ação calmante e suavizante; nutre a pele e os cabelos.

Com uma ampla sala de relaxamento, um fontanário das águas medicinais, lojas de conveniências e artesanatos, saunas seca e úmida, ducha circular e escocesa e piscina, o local pode ser considerando um verdadeiro spa. Além dos banhos de imersão, o Balneário Municipal de Águas de São Pedro oferece diversos tipos de tratamento estéticos, como limpeza de pele, peeling de diamante, hidratação facial, drenagem linfática, massagem relaxante e esfoliante, hidratação de pé e mãos com parafina, e, máscaras facial e corporal à base de lama medicinal.

INVESTIMENTO. Com muito luta e esforço, o prefeito da cidade disse que conseguiu cerca de R$ 380 mil de recursos para reformar o carro chefe da cidade. Além dos R$ 185 mil intermediados pelo deputado estadual Roberto Felício (PT) e outros R$ 100 mil pelo deputado federal Nelson Marquezelli (PTB), a local recebeu mais R$ 80 mil da Secretaria de Esporte e Lazer do Estado de São Paulo para trocar as banheiras da ala masculina. "A última reforma aconteceu há 20 anos", informou o prefeito Paulo Ronan.

A preocupação com a acessibilidade do local também foi destacada pela atual administração pública. Dar leveza ao ambiente e prepará-lo para atender pessoas com necessidade especiais fazem parte de uma das maiores novidades do balneário. A colocação de piso tátil, setas com visual auditivo, banheiras adaptadas, sensores nas portas e uma mapa tátil desde a recepção, estão incluídos na reforma.

De acordo com o administrador do local, Juraci dos Anjos, as mudanças serão sentidas por toda comunidade. "Além de melhorar a qualidade do atendimento e atrair novos usuários, a cidade ganhará um forte estímulo no ramo comercial e turístico", disse. As salas de massagem, saunas, recepção, auditório, duchas e até o fontanário serão remodelados. "Se atualmente atendemos cerca de 400 pessoas por semana, com as mudanças esse local pode até ficar pequeno", espera.

SERVIÇO

Onde fica
O Balneário Municipal Doutor Octavio Moura Andrade fica Avenida Carlos Mauro s/n. Mais informações pelo telefone (19) 3482-1333

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Reumatismo Sintomas

A DOR é sempre o principal sintoma do reumatismo, que é considerado uma doença das articulações, músculos, ligamentos e tendões, de caráter não traumático, que acomete pessoas mais velhas.
Na verdade, a palavra reumatismo serve para designar inúmeras enfermidades, mais de duzentas. Provavelmente, as mais conhecidas são a artrite reumatóide e a artrose, ou osteoartrose, que afetam cartilagens e articulações e provocam dor, deformação e limitação de movimentos. No entanto, as doenças reumáticas acometem não só as articulações e cartilagens, mas também órgãos internos, como coração e rins e, para a grande maioria delas, existem fundamentos imunológicos bem definidos.

Descritos por Hipócrates, séculos antes de Cristo, os diversos tipos podem manifestar-se em pessoas de qualquer idade: crianças, jovens adultos e idosos. Foi só nos últimos anos, entretanto, que surgiram drogas capazes de revolucionar o tratamento clássico do reumatismo feito até então apenas com antiinflamatórios.

A palavra reumatismo vem do grego (rheuma), mas seu significado foi-se modificando com o passar do tempo. Atualmente, quando se fala Reumatismo estamos nos referindo a um grupo bastante extenso de doenças que acometem não só as articulações, músculos, ligamentos e tendões, mas também a doenças em que o sistema imunológico está envolvido e atacam órgãos como cérebro, rins, coração, por exemplo.

Portanto, por englobar grupo tão grande de enfermidades, é muito importante caracterizar o tipo de reumatismo a fim de propor tratamento efetivo e adequado.